Projetos de Consultoria

1Projeto “Estudo de Cruzamentos e Segurança Viária” para o Concessionária do VLT Carioca. 2015
O objetivo foi estudar as 10 (dez) interseções semaforizadas mais complexas da rota do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) na sua área de circulação no Centro da Cidade do Rio de Janeiro e propor medidas e características de sinalização próprias visando a minimização dos riscos entre o VLT e as outras correntes de trânsito (pedestres e tráfego veicular de automóveis, ônibus, etc.).
2Projeto “Elaboração de Diagnóstico de Trânsito para a UTE Parnaíba – Maranhão”, para a ENEVA/EBX, 2013
O objetivo deste projeto foi o de elaborar um diagnóstico de trânsito, avaliando a infraestrutura viária, volumes e tráfego e a incidência de acidentes, no sistema viário da Área de Influência Direta (AID) da UTE (Unidade Termo Elétrica) Parnaíba, que engloba os municípios de Santo Antônio dos Lopes, Capinzal do Norte, Dom Pedro e Pedreiras, no Maranhão.
3DER - Estudos de Projeção e Previsão de Tráfego em rodovias estaduais no Rio de Janeiro, para o DER-RJ
A proposta foi simular o tráfego na Via Light Linha Vermelha com o objetivo de analisar os impactos, da implantação do trecho “E” da Via Light sobre os níveis de tráfego da Rodovia Presidente Dutra e outras, tendo em vista a implantação de uma ligação entre a Via Light e Linha Vermelha. Foram analisados cenários distintos, com e sem a implantação do Trecho E da Via Light ligando a Estrada do Rio do Pau e Avenida Brasil.
4Projeto “Avaliação do Tráfego nos 2 Eixos da Transbaixada”, para o DER-RJ, 2012
Este projeto teve como objetivo realizar simulações com o objetivo de analisar os impactos da implantação dos 2 trechos de uma ligação denominada Transbaixada, no carregamento de diversas vias situadas na área de influência destes trechos.

Para a realização do estudo foram criados os seguintes cenários:
• Transbaixada 1 – com e sem o Arco Metropolitano
• Transbaixada 1 com Transbaixada 2 e com o Arco Metropolitano

Além desses cenários, também é incluído nesse relatório um cenário representando a situação atual. Esses cenários foram lançados na base viária do TransCad, feitas as alocações de tráfego e analisados os resultados. A seguir se apresentam os cenários e os fluxos de tráfego resultantes de cada situação.
5Projeto “Elaboração do Zoneamento de Tráfego da cidade de São Luís, Maranhão” 2011
O objetivo deste projeto foi a elaboração do zoneamento de tráfego da Cidade de São Luís, visando estabelecer uma base para o desenvolvimento de estudos de transporte, necessários à operação eficiente do sistema de transportes público e privado da cidade, compatível com o estagio atual de desenvolvimento e as necessidades de deslocamento da população.
6Projeto “Estudo das Características dos Semáforos com Detector de Avanço do Aspecto Vermelho” para a CET-RIO. 2009
Neste projeto foram analisadas as principais fontes de pesquisa sobre tempos de amarelo, informações sobre as interseções onde estão implantados os aparelhos registradores de avanço do sinal vermelho, escolha das interseções onde foram feitas análises em campo e as recomendações sobre os tempos de amarelo nas interseções da cidade do Rio de Janeiro.
7Projeto “Análise do Tráfego da Ponte Rio - Niterói“ para a Concessionária Ponte S.A. 2005
Neste estudo foram realizadas análises dos fluxos de tráfego na praça de pedágio da Ponte Rio – Niterói, durante o período de 1996 até 2009. Para esta análise foram levados em conta diversos aspectos, entre os quais o da flutuação do tráfego e sua dependência dos diversos fatores envolvidos, entre os quais os econômicos.
Dessa forma, foi realizado para a Concessionária da Ponte Rio - Niterói S.A. um estudo técnico visando analisar a consistência dos dados de tráfego de pedágio, contemplando:

• Análise do tráfego demonstrando sua correlação com variáveis sócio-econômicas (ex: Preço de combustíveis. PIB da região, nível de emprego, renda, comércio, etc.);
• Impacto das melhorias e mudanças físicas e operacionais ocorridas (ex.: obras de melhorias no início da concessão; implantação de 4 faixas, etc.);
• Movimentações sazonais (ex.: meses do ano, férias); ‘
• Comparações entre a contagem física (realizada pela COPPE) e a contagem contabilizada na Praça de Pedágio pela Ponte S.A. – no período de uma semana.
• Comparação do tráfego contabilizado pela Ponte S.A. para o período de Concessão (1996 a 2004), com a projeção da Séria Histórica observada no período em que o pedágio foi administrado pelo DNER desde a inauguração da Ponte (período de 1974 a 1986)
8Projeto “Assessoria à Elaboração do Plano Diretor de Transportes Públicos (PDTU)” para o Banco Mundial e o Governo do Estado do Rio de Janeiro 2002/2005
O objetivo deste projeto foi acompanhar os trabalhos contratados para o Plano Diretor de Transportes Urbanos – PDTU (2003), por consultores de nível internacional. Este acompanhamento visou analisar os trabalhos e avalizar seu desenvolvimento.
9Projeto “Desenvolvimento e Implantação de Sistemas ITS nas Rodovias Concedidas”, para a CRT (Consórcio Rio – Teresópolis) 2002
O objetivo deste projeto foi desenvolver estudos visando a implantação de sistemas ITS na rodovia BR-116, a Rodovia Rio Teresópolis, operada pela CRT (Concessionária Rio Teresópolis). Foram analisados os sistemas ITS capazes de apresentar benefícios, particularmente no que toca à segurança e a fluidez do tráfego. Os aspectos básicos considerados foram a segurança e a análise dos fluxos veiculares.
10Projeto “Reorganização do Sistema de Transportes Coletivos por Ônibus do Rio de Janeiro”, para a IplanRio 1998/2000
Este é o Projeto de Reorganização do Sistema de Transporte Público Coletivo por Ônibus no Município do Rio de Janeiro - RioBus. Teve como objetivo estudar detalhadamente o sistema de transporte público por ônibus, no final da década de 1990, e propor um novo sistema, mais eficiente e racional, capaz de proporcionar à população do município, e também da região vizinha, a mobilidade desejada e necessária à viabilidade das atividades econômicas e à realização da vocação sócio-político-econômica e cultural da cidade do Rio de Janeiro.
Os objetivos principais do sistema RioBus foram:
• A racionalização dos itinerários das linhas de ônibus;
• A adequação da oferta à demanda no sistema;
• A introdução de corredores exclusivos para ônibus;
• A redução dos tempos de viagem; e
• O uso da bilhetagem automática e da integração tarifária (inexistente à época).

Além disso, estabeleceu-se como metas que o sistema deveria contribuir positivamente para a imagem do Rio de Janeiro, não apenas oferecendo a mobilidade desejada por seus cidadãos, de maneira competitiva com outros modos e sistemas, mas se tornando, por si só, um marco para a cidade.
Assim, foi proposto o Sistema RioBus, formado por um conjunto de ligações de transporte coletivo por ônibus, desenhadas de acordo com o moderno conceito de corredores tronco-alimentados visando a redução dos tempos de viagem e o aumento da oferta de acessibilidade aos diversos pólos geradores e atratores de viagens, além da integração com outros modos de transporte.
O sistema RioBus é composto de quatro subsistemas – troncal, principal, alimentador e circular. O sistema obedece a uma hierarquia funcional, mediante a qual as linhas troncais oferecem mobilidade e as alimentadoras e circulares fazem o serviço de acesso. As linhas principais proporcionam um serviço balanceado de mobilidade e acesso.
11Projeto “Estudo para Criação de um Programa Nacional de Aplicação da Telemática nos Transportes” para o GEIPOT 1997
Esta pesquisa teve como objetivo a realização de um estudo sobre o desenvolvimento e o ordenamento das aplicações da telemática nos transportes terrestres urbanos, interurbanos, públicos e privados do País, com vistas à implantação de um Programa Nacional de Aplicações da Telemática nos Transportes (PNATT). As aplicações da telemática nos transportes ferroviários e metroviários foram abordadas de forma expedita e não foram estudadas as aplicações específicas nos transportes aéreos e aquaviários. Foram consideradas, entretanto, todas aplicações da telemática que pudessem favorecer a integração modal ou a multimodalidade.
Atualmente a denominação Telemática nos Transportes é conhecida como Sistemas Inteligentes nos Transportes, ou ITS
12Projeto “Implementação do Sistema CTA-RIO” para a CET-RIO 1994/1995
Este projeto teve o objetivo de desenvolver e detalhar etapas do projeto-base da CET-RIO: Sistema de Controle de Tráfego Centralizado da Cidade do Rio de Janeiro. Este detalhamento contemplou a elaboração dos planos de sincronismo semafórico para os diversos Módulos (VI) do referido sistema e o desenvolvimento de todo o projeto, passando desde o levantamento das características físicas das áreas e cruzamentos até o cálculo dos planos semafóricos. Este projeto contemplou um total de 798 (setecentos e noventa e oito) cruzamentos semaforizados.
13Projeto “Assessoria para o Projeto Rio-Cidade” para a CET-RIO 1994
Este projeto teve os seguintes objetivos:
i - analisar 4 (quatro) sub-projetos
ii - analisar os impactos no sistema de circulação viária durante as obras
iii - analisar crítica dos projetos de sinalização horizontal e vertical
iv - Projeto executivo da linha de dutos semafóricos A análise detalhada dos sub-projetos do Rio-Cidade foi realizada através de simulações de tráfego, elaboração de pareceres técnicos e desenhos de eventuais modificações.
Os sub-projetos que foram analisados:
- Centro
- Tijuca
- São Clemente
- Voluntários da Pátria

Para análise dos Impactos no Sistema de Circulação Viária durante as obras do Projeto Rio-Cidade, com estudos de cada sub-projeto, simulações de tráfego e desenhos dos esquemas de circulação, foram analisados os seguintes sub-projetos:
- Vila Izabel
- Laranjeiras
- mais outros 5(cinco) sub-projetos.